Como emagrecer comendo de tudo (para aqueles que não abrem mão do fast-food)

Quem me conhece sabe que eu não curto dieta, nunca fiz nenhuma, às vezes costumo brincar dizendo que “estou de dieta” mas normalmente não dura mais do que quatro horas. Mas, quando ouvimos falar em dieta, pensamos em cortar os doces, refrigerantes, gordura e logo aparece a imagem de um prato cheio de saladas na nossa mente, não é mesmo? O que poucos sabem, é que, na verdade, DIETA nada mais é do que uma programação feita especialmente para você com alguma finalidade e que, o que temos medo mesmo é de REGIME. Então, arrumando minha primeira frase, eu não curto regime e o único motivo para eu não gostar de fazer regime é justamente o fato de eu não abrir mão de comer tudo o que eu tenho vontade. A brincadeira começa que sou viciada em Coca-Cola. Leia, não sou viciada em refrigerante, e sim na Coca-Cola, não consigo passar um dia sem ela. Amo fast-food, tudo que tem a ver com coxinha, batata frita, lanches e pizzas, mas não sou chegada a doces (o que é um ponto bastante positivo). Se identificou?

O grande dilema é: Como controlar para não virarmos uma bola? A primeira dica é: coma tudo sem culpa. Se você já dá a primeira mordida pensando em quantas calorias está ingerindo, pode contar que você vai engordar o dobro. Jamais abra mão de comer aquilo que tenha vontade. Se ficar olhando os outros comer, a sua vontade irá lhe engordar (e vai ter quem diga que foram as lombrigas). Até aqui a aulinha foi da matéria “psicológico” e sim, pode pesquisar que já tem estudos que confirmam a minha tese. Agora vamos passar para o lado fitness da coisa. Seria bem interessante você se exercitar de alguma maneira, (para não dizer “necessário”). Só aqueles que fazem exercícios (academia) regularmente, podem se dar ao luxo de comer de tudo, simplesmente porque estão queimando tudo o que comem e, curiosamente, são os que evitam ao máximo isso tudo. E sim, eu também nunca entendi isso. Mas, se você não é adepta a academia, ande, mas ande com vontade. Está no seu horário de almoço e deu aquela paradinha no Mc Donalds? Ande. Vá dar uma volta no quarteirão, faça o caminho mais longo até o trabalho, tente andar em um ritmo mais rápido, te garanto que se você andar pelo menos 20 minutinhos por dia, as coisas começarão a tomar um rumo diferente em sua vida. Jamais, em tempo algum, pense em tomar remédios para emagrecer, ou enfiar o dedo na goela após terminar de comer, por motivos óbvios de que você vai acabar parando em um hospital (ou em algum lugar ainda pior). O lance é “coma de tudo”, porém pouco. Não seja aquela pessoa que enche o prato. Se você colocar uma colher de cada coisa que tem vontade de comer, você conseguirá não passar vontade e ao mesmo tempo não engordará. Tente substituir o máximo de coisas que você conseguir, de tempos em tempos. Você não precisa parar de tomar refrigerante para sempre, mas pode optar em tomar refrigerante durante o almoço e substituir o refrigerante do jantar por uma limonada ou uma água de coco. Terei que fazer isso todo dia? Olha, se eu dissesse que sim, eu teria que apagar tudo o que escrevi até agora. Sabemos que o certo seria substituir tudo imediatamente por comidas hiper saudáveis, file de frango, comidas grelhadas, sem sal, sem açúcar, sem óleo, com muita salada, frutas e nada de refrigerante. Este é o óbvio e estamos aqui tentando driblar o óbvio, fazendo da nossa vida algo saudável sem ter que abrir mão do que gostamos. Substitua o pão na chapa nosso de cada dia por uma porção pequena de salada de frutas e diga não, caso o menino da lanchonete te pergunte se quer leite condensado por cima. Divida sua semana em dia da sopa, dia da salada, dia do fast-food, dia fitness, dia liberado. Se tiver alguma festa, churrasco, almoço entre amigos, coma tudo o que tiver vontade, mas no dia seguinte, lembre-se de dar uma limpada no organismo com um suco verde no café da manhã, por exemplo. Coma suas coxinhas, seus lanches e pizzas, mas abuse da salada no almoço seguinte. E por aí vai, sempre lembrando que você pode comer de tudo, mas cortando metade do que estava acostumado. Se você come 4 coxinhas, coma 2, se coloca 2 colheres de feijão no prato, coloque 1. Desta maneira, continuará comendo de tudo, mas reduzirá a quantidade.

Agora uma dica de mãe: Se olhe no espelho. Se sentir uma gordurinha a mais, ou que a calça não está fechando, ao menor sinal de que as coisas não vão muito bem no Reino da Dinamarca, dobre a caminhada, reduza os doces por pelo menos uma semana, controle sua alimentação tentando comer coisas mais naturais nos próximos dias até sentir que tudo começou a voltar ao normal. Às vezes, só de você deixar de exagerar no café da manhã, trocando tudo o que come por um copo de água de coco com uma fruta, durante uma semana, já faz você notar a diferença. O lance é ficar de olho no espelho, e ir controlando suas vontade de acordo com o botão da calça. Não deixe de fazer seus exames de rotina, não fique atrás de dietas malucas que mandam você viver de luz ou de sopa por meses, nem deixe de pensar na ideia de um exerciciozinho pelo menos duas vezes por semana, nem que seja uma aula de dança ou andar pelo seu bairro. Antes de passar semanas a base de saladas e frutas, lembre-se também que seu corpo NECESSITA de diversas vitaminas que são encontradas em outros tipos de alimentos, como feijão, carne, peixe, frango e deixar de come-los pode ser um mal negócio. Bom, acho que agora deu para você se sentir menos culpada por amar comer tranqueiras e por nem passar pela sua cabeça a ideia de entrar em uma academia. Mas, como nossa vida é uma caixinha de surpresas e não sabemos o dia de amanhã, jamais diga “desta água não bebereis”. Pegue seus amigos que estão na mesma intenção e comecem juntos a se policiar e a se exercitar. Incentivo é a melhor arma que você pode ter.

Deixe o seu comentário!